15 fevereiro 2007

A discórdia, a discussão e a disputa! Round 2

Ainda os ânimos estão a arrefecer depois do primeiro round, para os mais distraídos falo sobre o referendo da IVG, e já a JS nos quer enfiar noutra, desta vez sem referendo (espero). Este ano promete.
O tema polémico número dois é o casamento entre homossexuais.
Cá para mim acho que nada tem de polémico, é capaz é de ter um bom bocado de conservador, mas ainda assim vai causar um burburinho que vou gostar (mesmo muito) de ver.
O melhor comentário sobre isto pertence a Gore Vidal, escritor e homossexual:
Since heterosexual marriage is such a disaster, why on earth would anybody want to imitate it?

The man's got a point.

3 comentários:

macnet disse...

também li essa notícia. acho que essa proposta em referendo não passa. é preciso ter calma porque as pessoas ainda são muito preconceituosas...

Hélio disse...

Mais temas polémicos, mas este a meu ver é bastante mais "soft" uma vez que não diz respeito a todos, ou pelo menos, não diz tanto como diz um referendo sobre IVG ou Aborto.

Por mim, podem muito bem existir homossexuais, podem casar, façam o que quiserem, desde que não se virem pro meu ladeiro, tá tudo...

Agora, se o referendo for do estilo "Concorda que um casal de homossexuais adopte crianças?" aí não te sei dizer que hipótese iria escolher, se o "sim" se o "não", mas estava mais inclinado para o não, para te ser sincero (chama-me conservador à vontade).

Espero bem que não hajam mais referendos... e se houverem que sejam por coisas que se justifiquem!

Paula disse...

Acho que fazer referendos com coisas destas está fora de questão. Até porque se o país ficou em pantanas com o último referendo, então se isto fosse a votos ia ser uma autêntica guerra civil.

@Hélio: chamar-te conservador vai depender das razões pelas quais não concordas.
Se for por preconceito, como disse o macnet, sim, chamar-te-ia conservador. Mas isso sou só eu :)

De qualquer modo pra mim estes "problemas" são relativamente directos: quaisquer duas pessoas que queiram assumir uma relação devem ter os mesmos direitos - sejam ou não do mesmo sexo - no casamento, no pagamento de impostos, nos créditos bonificados para casais jovens, na adopção, etc.