19 agosto 2009

Eu e carros, carros e eu.

E pronto, é seguro dizer por esta altura que sou uma fã do Top Gear. Porque o mimo de apartamento onde estou em Leiden não tem TV para fazer barulho de fundo, foram as várias seasons de Top Gear que fizeram a vez. A banda sonora é variada, cerca de metade do que se ouve são carros a acelerar a outra metade pode ser Furious Angels do Rob Dougan, Requiem for a Dream do Clint Mansell, Map of the Problematique dos Muse, Fanfare for the Common Man do Aaron Copland ou o Rex do Requiem de Mozart.

Já sei o que é understeer, V8 engine, que o Bugatti Veyron (Oh. My. God.) em flat out acaba o depósito em 12 minutos que o Porsche 911 é bonito, o Lamborghini Gallardo é feio e que o Renault Clio se porta bem nas ruas de Lisboa. E ainda choro a rir com o Jeremy, o Hammond (he has not had his teeth whitened) e o James.

E Pai Natal, se estás a ler este post então aqui fica uma ideia para o Natal: Bugatti EB 16.4 Veyron Sang Noir. Não te preocupes que não é preciso embrulho.

5 comentários:

rup disse...

\o/
(tirando a parte em que Gallardo é feio :p)

Pedro disse...

Welcome to the club!

Anónimo disse...

Se não os podes vencer....lol

AL

Pedro disse...

Antes de mais nada uma nota sobre a observação do Rup: Sacrilégio!! Nada assim pode ser feio. Até a Lili Caneças com um motor daqueles era bonita!

Bem, mas o core do meu comentário é para vos deixar links para o meu momento favorito do Top Gear (em 2 partes):

Killing a toyota - Parte 1

Killing a toyota - Parte 2

macnet disse...

O Gallardo é lindo!