19 dezembro 2006

Aparecemos na TIME!!

Os senhores da TIME escolheram o que antes se chamava Man of the Year e que se passou a chamar, sensatamente, Person of the Year (de onde copiei descaradamente o meu Person of the Month).
De Bill Gates a Einstein, da Rainha Elizabeth II até Hitler, passando por abstractos como The American Soldier ou The Computer, já passou de tudo um pouco e, escandalosamente, Bush (filho!) recebeu duas vezes o título. Atribuo tal acontecimento a uma lacuna informática grave nos sistemas dos senhores da TIME.
Ainda assim, este ano a escolha foi igualmente supreendente - You. Eu! Nós!! Todos os que utilizam a internet, todos os que controlam a Information Age.

Tenho é um pequeno comentário a fazer. Pelo meio do artigo pode ler-se no início de um parágrafo:

"Who are these people? Seriously, who actually sits down after a long day at work and says, I'm not going to watch LOST tonight."

Ora bem, acho engraçado ter aparecido na revista, até agradeço aos senhores da TIME a atenção e vou guardar este número para um dia mostrar à minha descendência. MAS (!!) jamais!, em tempo algum!, eu diria algo que remotamente se assemelhasse a "I'm not going to watch LOST tonight.".

Really, do you - people that chose this person of the year - know me at all? Do you know us - the internet people - at all??

3 comentários:

FGP disse...

Mas tu não dizes "I'm not going to watch LOST tonight"?
Pronto, já vais ser excluida da lista. Mas vendo bem, de acordo com o Público de hoje estarias excluida à partida, pois o "You" português é um rapaz estudante que vive em Lisboa. ;P

Claro que depois de ter lido no mesmo jornal que o Vaticano tem "menos de 500 metros quadrados", fico a pensar se não valerá a pena procurar outra fonte de informação.

Ebil Cash disse...

Isto de person of the month é quase que insinuar que uma gaja pode fazer algo de mérito suficiente para ser consagrada na Time. Se calhar foi feita para se adaptar ao Bush ou assim, que, apesar de ser... ele mesmo (não me ocorreu insulto pior), pelo menos não é gaja. Se fosse, em vez de WMD, andaria à procura de malas Louis Vitton lá no Iraque/Afeganistão/Whatever caoutry that has oil.

BTW, http://bushclock.lose.com/

De qualquer forma, já não chega terem direito a voto (que não adianta de nada, uma vez que apenas os votos dos gajos são contabilizados... essa treta dos dreitos das gajas é fogo de vista), conduzirem (essa ainda não percebi) e andarem livremente na rua (culpa nossa, gostamos de olhar para um bom par de mamas, por isso permitimos isso), ainda querem reconhecimento... funny, funny creatures!

Paula disse...

Pronto Cash... sshhhh shhhh! Já passou! Ssh... there there...