14 agosto 2006

Le 8mm critique - Wrong Time. Wrong Place. Right Post.

They call it a spoiler.
Why do they call it a spoiler?
Because it's a spoiler.

Há filmes e filmes. E depois há outros filmes. Lucky Number Slevin, insere-se na última categoria. O argumento, ainda que sem grandes revelações, é original e a forma meia acrobática e envincilhada com que a história é contada dá um lustro especial ao filme.
O elenco é cinco estrelas: Morgan Freeman, Bruce Willis, Sir Ben Kingsley, Lucy Liu, Stanley Tucci e Josh Hartnett - melhor é (quase) impossível. Escusado será dizer que as interpretações são óptimas, com particular atenção à de Bruce Willis que está como peixe na água na pele de um world-class assassin que não diz uma vírgula fora do sítio durante o filme todo.
Verdade seja dita que a partir de certa altura o enredo denuncia-se mas é mais ou menos como descobrir as peças do puzzle mas sem saber muito bem como encaixam - Slevin Kelevra aparece de lado nenhum sem razão aparente e deixa logo uma pista para o que no fim se vem a confirmar.
Não se trata de um Snatch, de um qualquer filme do Quentin Tarantino ou até de um David Fincher, mas vale bem a pena a ida ao cinema nem que seja pela banda sonora que, essa sim, é intocável.

O Momento: O momento exacto da execução do Kansas City Shuffle. Dei um salto na cadeira.

A Frase:
Lindsey: A mobster with a gay son. How ironic.

1 comentário:

rup disse...

Quase que diria mesmo que o argumento era digno de um Tarantino... mas tinha de ser um Tarantino de há uns anitos atrás e com menos qualquer coisita ;)
Mas achei o filme simplesmente genial!
No entanto acho que há uma linha que resume melhor o Slevin; que é quando está em frente ao tio Morgan e ele lhe diz: "I bet it was that mouth that got you that nose." :D